Em ritmo de Olimpíadas

Como praticamente não se fala em outra coisa nos jornais, melhor já começarmos a agilizar os preparativos, não? ;P

129_2146-neo3

Crédito: Blog do Noblat

Anúncios

“O Pequeno Príncipe” é atração na Oca

pequeno-principe

A Oca, no Parque do Ibirapuera, recebe a partir de hoje, 22, a primeira exposição mundial tema da obra literária francesa mais vendida no mundo, “O Pequeno Príncipe“, como parte das comemorações do Ano da França no Brasil.

Inovadora, a exposição promete surpreender, a começar pelo ingresso de entrada, em formato de passagem área. Os visitantes passearão por uma pequena Paris e embarcarão por uma viagem pelos capítulos do livro com 15 ambientes diferentes, como se fizessem parte da obra. Para se ter uma idéia, no subsolo da Oca, os visitantes receberão um passaporte para percorrer o mapa das viagens feitas por Saint-Exupéry atrás de um tesouro escondido no Saara fictício. Gostou? Tome nota então:

Exposição “O Pequeno Príncipe na Oca”

22 de outubro a 20 de dezembro

De terça a sexta, das 9h às 19h, e aos sábados e domingos das 10h às 20h

Oca – Parque do Ibirapuera, s/n, Portão 3, Ibirapuera, SP

Ingresso: R$ 18,00. Meia-entrada: R$ 9,00 (estudantes e professores com identificação da instituição). Entrada franca para menores de 3 anos, maiores de 60 anos, público especial e grupos de escolas públicas agendados.

Informações pelo (11) 3034-6424 ou pelo site http://www.opequenoprincipe.com


Pombas ao vento… ou não!

Imagina a cena: autoridades do Afeganistão reunidas para festejar o Dia Mundial da Paz (21 de setembro) desse ano. Todo mundo bonitinho no palco, discursando sobre a importância da paz e blá blá blá. Para encerrar com chave de ouro o discurso, as autoridades resolveram lançar pombas ao vento. Meio clichê, não? Só se todas as pombas estivessem vivas… hahaha

Sangue novo na Billboard

Fica a dica: James Tyler, americano de 23 anos que esteve bombando em seriados americanos como Brothers & Sisters (BBC) e The Hills (MTV).

Stay Humble – 2005:

Call my Name (feat. Morgan Page) – 2008:

Site Oficial

Devaneios de uma cidadã ‘comum’

Para quem quiser chorar sobre o ” futuro aton”, sobre as “réplicas constantes” e as “crianças treplicantes”.

Alguém, por favor, me explica o que foi esse gran finale “te amo, Alexandre’?! hauahuhuahuaua

Como já dizia o Ratinho, “COOOORTA o microfone dela!!”

Sem mais! rs

Erros e Acertos

caminhos

Reconhecer um erro é difícil, pois quando o reconhecemos, assumimos que estamos errados e no fundo, todo mundo quer sempre estar certo. Mas mesmo não querendo assumir, nós nos enganamos e erramos algumas, ou muitas  vezes.

Tudo na vida tem sua hora certa pra acontecer (acredito). Temos um determinado tempo pra reconhecer ‘pisadas na bola’ e quando ele passa, lá se vai nossa chance de fazer o certo ou de dizer que  finalmente entendemos.

Acredito não existir maior angústia do que perceber um erro e não ter a chance de consertá-lo. Aliás, talvez seja um pouco de castigo por parte de quem magoamos não nos dar uma segunda chance. O ressentimento é um saco! Ele impede que as coisas fluam.

Algumas coisas a gente só aprende quando sente na pele. Sabemos e aprendemos conforme  vivemos e fazemos.  Mudamos a cada ano, a cada dia, a cada minuto. Deve ser por isso que existem livros  para serem lidos ao longo da vida, pois a cada vez que os lemos, tiramos algo novo, um ponto de vista novo, coisas que  não havíamos percebido na última leitura.

Acho que o tempo deveria nos dar uma trégua de vez em quando e nos deixar fazer a coisa certa, pois às vezes nós demoramos, mas em nosso tempo, entendemos os erros que foram cometidos.

Mas não funciona assim, não é? E quando o tempo passa só nos resta aprender com tudo.

As pessoas vêm e vão e elas não esperam o seu tempo, elas têm o próprio tempo, logo, esperar que alguma pare tudo e te ouça é um tanto que inútil. Na verdade, acho que essa é a grande pegadinha do tempo. Na verdade,  o que importa mesmo é quando VOCÊ se dá uma trégua, quando VOCÊ entende e perdoa a si mesmo pelos erros cometidos.

O tempo tem seus contras, mas as maravilhas dos prós compensam qualquer sofrimento. E por esse motivo, chego a sentir dó de quem guarda ressentimentos.  O mesmo tempo que te tira uma chance de consertar algo estragado, te dá uma nova chance para recomeçar. E se você aprendeu com as lições do passado, vai saber aproveitar muito bem a nova oportunidade

Ande pra frente e não leve consigo pendências, parece clichê e na verdade é, mas é o conselho mais sábio que já ouvi”.